traduzi esse poema porque é sobre buceta-com-buceta, porque é apaixonante, porque conversa diretamente com Poesia não é um luxo, de Audre Lorde, não só nas ressonâncias como na proposta de pensar poesia como um espaço de teorização próprio de lésbicas de cor terceiro-mundistas.

Intimidade não é luxo, de Cheryl Clarke

Intimidade não é luxo aqui.
Não mais telefones pendurados
ou linhas sempre ocupadas
ou conversas ainda censuradas.
Não mais mirar nossas mãos
temendo dá-las
ou se dadas
temendo soltar.
Nós estamos aqui.
Após anos de separação,
mulheres tomam seu tempo
dispensam velhas animosidades.
Tribadismo é uma panaceia ancestral e vale o risco
uma panaceia ancestral e vale o risco.

tribadismo, ou: “esfregar buceta-com-buceta”

CLARKE, Cheryl. Intimacy no luxury. In: ______. The days of good looks: the prose and poetry of Cheryl Clarke, 1980 to 2005. New York: Da Capo Press, 2006. p. 101.

Advertisements